Em destaque

E-Commerce para Negócios Criativos

Então você é um empreendedor criativo utilizando canais de mídia social pra alcançar seus clientes e pensa em como expandir seus negócios online? Ótimo, esse post é pra você.

Vamos começar com uma introdução ao comércio eletrônico falando sobre seu potencial e benefícios para negócios criativos. Depois vamos falar sobre os principais canais de venda online e acabaremos com umas dicas sobre o que considerar para montar seu negócio online

Introdução ao e-commerce

Definição

Afinal o que é comércio eletrônico? É uma transação comercial que acontece através de um computador ou outros aparelhos digitais como tablets, smartphones ou outros equipamentos smart como sua TV ou quem sabe até sua geladeira.

Evolução

O comércio eletrônico começou nos anos 90 com a popularização da internet e se consolidou nos anos 2000 impulsionado por desenvolvimentos tecnológicos que tornaram as lojas virtuais mais atraentes e os processos de pagamento e entrega mais confiáveis. As transformações na área da tecnologia da informação e comunicação e os processos de globalização geraram mudanças no comportamento das pessoas que hoje conhecem estilos de vida e produtos do mundo inteiro e tem acesso a esses novos mundos através do comércio eletrônico.

Consumidores

Para os consumidores o e-commerce traz benefícios e desafios. Os benefícios incluem o conhecimento e acesso a uma incrível variedade de produtos que podem ter origem local, nacional, regional ou mundial. Outras vantagens estão relacionadas a comodidade de comprar sem sair de casa e a possibilidade de encontrar produtos mais baratos e de boa qualidade.

Com relação aos desafios do comércio eletrônico para consumidores podemos citar o custo do frete, a demora na entrega do produto e a desconfiança com o pagamento online e manipulação de dados pessoais.

Empreendedores Criativos

Comércio eletrônico é vantajoso para empreendedores criativos e pequenos empreendedores em geral porque custa muito menos do que investir em lojas físicas, pode ser feito com uma equipe pequena e o empreendedor tem a comodidade de trabalhar de onde quiser.

Os desafios estão relacionados a adquirir as habilidades específicas para se destacar entre os concorrentes online e desenvolver processos para conquistar e fidelizar os clientes. Um serviço ruim gera má reputação rapidamente através de comentários negativos nas plataformas de compras online (marketplaces) ou em canais de mídia social. É preciso garantir que os consumidores encontrem seus produtos com facilidade, tenham confiança na gestão de dados pessoais e pagamento, saibam que o produto correto será entregue no prazo e que se alguma coisa sair errado sua empresa vai resolver o problema da melhor forma possível.

Números

Os dados de crescimento de vendas do comércio eletrônico são a maior razão para investir no setor. Enquanto o varejo tradicional enfrenta dificuldades com várias lojas importantes fechando, o e-commerce cresce de forma constante.

No Brasil o faturamento do e-commerce dobrou em quatro anos passando de 22,5 bilhões de reais em 2012 para 44,4 bilhões em 2016 e tem a previsão de passar de 60 bilhões em 2019.

Uma comparação entre o e-commerce no Brasil com um mercado maduro como os Estados Unidos mostra que o setor ainda tem um grande potencial de crescimento. Segundo dados do Departamento de Comércio Americano, em 2018 o e-commerce no Estados Unidos movimentou 513.61 bilhões de dólares, representando 14,2% das vendas totais do varejo. Enquanto o varejo tradicional cresceu 4,1% em relação a 2017 o e-commerce cresceu 15%.

No Brasil, segundo dados do IBGE, o e-commerce faturou 53.2 bilhões de reais em 2018 (aproximadamente $13 bilhões de dólares ou 2,5% do mercado de e-commerce Americano). O e-commerce no Brasil representa 2,8% das vendas totais do varejo e teve um crescimento de 12% em relação a 2017 enquanto o varejo tradicional cresceu apenas 2,3%.

Tipos

Existem vários tipos diferentes de e-commerce a depender dos atores envolvidos nas transações.

  • B2B (Business to Business): B2B são transações comerciais entre empresas. No mundo o maior representante B2B é o Alibaba e no Brasil se destaca a B2W empresas
  • B2C (Business to Customer): B2C são transações comerciais de empresas para pessoas físicas. Nessa categoria se encontram a maioria das lojas online e marketplaces que são plataformas online que agregam vários vendedores em um só lugar. No mundo o maior marketplace é o Amazon (chegando a representar 40% do e-commerce dos EUA) e no Brasil se destaca a rede B2W (dona das plataformas AmericanasShoptime e Submarino), o Mercado Livre, e o Magazine Luiza
  • C2C (Customer to Customer): C2C são transações comerciais entre pessoas físicas. O maior exemplo no mundo é o ebay, e no Brasil se destaca o Mercado Livre, o OLX e grupos de compra e venda no Facebook.
  • C2B (Customer to Business): C2B são transações de pessoas físicas para empresas e aqui se destacam as plataformas onde freelancers oferecem serviços para empresas como o UpworkFiverr e 99 freelas
  • GOV (Governo): Existem ainda as transações que envolvem o governo como e G2B (governo para empresas), B2G (empresas para governo) e G2C (governo para pessoas físicas).

Canais de vendas online para criativos

Os principais canais de vendas online são as redes sociais, marketplaces e lojas virtuais. Conheça cada uma das principais opções e escolha as que mais se adaptam ao seu estilo.

Redes Sociais

Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn, Pinterest, YouTube, WhatsApp. Cada rede social tem a sua própria linguagem e é uma oportunidade para se relacionar com seu público alvo, buscar engajamento com suas ideias e produtos e gerar vendas. Contudo, ter sucesso em redes sociais exige dedicação e muito tempo e devem ser utilizadas com profissionalismo para não afetar a produtividade do seu negócio. Identifique que redes sociais são mais relevantes para seu público alvo, torne-se um usuário para entender como funciona, e crie seu processo de relacionamento com clientes otimizando tempo e eficiência.

Aqui vão algumas dicas para vender mais através de mídias sociais. Detalhe o seu perfil usando palavras chaves para definir seu negócio e mostrar seus produtos. Cuide da sua identidade visual como logo, fontes, paleta de cores e imagens. Crie conteúdo relevante falando sobre a filosofia do negócio, os produtos, os processos criativos e as pessoas envolvidas. Seja ativo respondendo perguntas rapidamente e engajando em posts de outras pessoas. Utilize as ferramentas de gestão de mídias sociais para conhecer melhor seus clientes e criar posts mais efetivos. Divulgue seu perfil e seus produtos com anúncios nas redes, promoções e sorteios. Integre seus canais de mídia social com sua loja online se você tiver uma.

-> Leia mais sobre vendas através de redes sociais nesses posts da Rock Contente da Hotmart

Marketplaces

O marketplace é uma plataforma mediada por uma empresa, em que vários outros lojistas podem se cadastrar e vender. Marketplaces são populares com os consumidores porque garantem uma compra segura e reúnem várias lojas em um só lugar, como um shopping center virtual, facilitando a busca pelo melhor produto com menor preço.

Os marketplaces cobram taxas e comissões das empresas que querem vender em suas plataformas e em retorno oferecem maior visibilidade e possibilidade de aumento de vendas. A capacidade de atração de clientes dos marketplaces é impressionante. Nos Estados Unidos a Amazon sozinha concentra 40% de todo o comércio eletrônico. No Brasil o tráfego é diluído entre várias plataformas, as principais são: Mercado Livre, B2W, Via Varejo, Magazine Luiza e Netshoes.

Cada marketplace tem suas próprias regras de funcionamento, mas geralmente para se cadastrar o empreendedor deve fornecer dados como CPF, CNPJ, endereço e nome da loja. Para se destacar é preciso ter um produto diferenciado ou melhor preço que os concorrentes e garantir visibilidade com fotos de qualidade, descrição fiel dos produtos com títulos estratégicos e palavras chave e um atendimento eficiente.

Veja abaixo algumas opções de marketplaces com links de registro:

Marketplaces Gerais (tipo lojas de departamento): Mercado LivreB2W(Lojas Americanas, o Submarino e o Shoptime), Via Varejo (Extra, Casas Bahia, Pontofrio e Barateiro), Magazine LuizaAmazonCarrefourOLX

Produtos criativos e autoraisElo7, TanlupBoobamEtsy (líder de mercado nos Estados Unidos)

ArteBlombôArmajeurSaatchi ArtArtfinder

Impressão sob Demanda (Print on Demand): Colab55RedbubbleSociety6

EsportivosNetshoesCentauroKanui

ModaDafitiModa ItTricae (infantil), Enjoei (roupas e acessórios usados)

CasaMadeiraMadeiraMobly

ConhecimentoSaraivaEstante Virtual

-> Leia mais sobre vendas através de marketplaces nesses posts da e-commercebrasil e da Escola de e-commerce.

Loja Virtual

Uma loja virtual é um website com capacidade para transações comerciais onde empreendedores vendem seus próprios produtos. Com uma loja virtual você terá maior controle sobre a sua marca e suas margens de lucro serão maiores pois você não estará pagando taxas e comissões de venda para marketplaces. Contudo você será responsável por todo o processo de relação com o cliente, entregas, e terá que fazer um forte trabalho de divulgação para atrair pessoas para o seu site.

Para abrir sua loja virtual considere esses primeiros passos:

  • Plataforma: A escolha da plataforma que vai ser a base de sua loja online é primordial. As plataformas mais completas oferecem modelos customizáveis de desenho do website, opções de compra de domínio e hospedagem, integração com métodos seguros de pagamento, segurança anti-faude, ferramentas de gestão de estoque e de relacionamento com clientes. Conheça as principais plataformas para lojas virtuais nesse post da empreenda e-commerce.
  • Desenho da loja virtual: Uma loja bonita e bem organizada é essencial para garantir uma boa experiência de compra para os clientes e aumentar suas vendas. Escolha um design agradável paro o site e capriche no catálogo, organização, descrição e fotos dos produtos.
  • Marketing: Para atrair clientes para o seu site você pode investir em anúncios pagos e tráfego orgânico, que é quando pessoas vem à sua loja virtual por recomendação em canais de mídias sociais ou durante pesquisas no google. As opções de divulgação pagas incluem google ads(ferramentas de anúncios da google), anúncios em redes sociais, e colaborações com influenciadores. Para atrair tráfego orgânico você pode investir em conteúdos interessantes em redes sociais, blogs e newsletters. Além disso é importante inscrever sua empresa no Google Meu Negócio, que funciona por geolocalização e vai indicar seu negócio para clientes na sua área usando google maps ou fazendo pesquisas no google.
  • Legislação: Conheça a lei brasileira do e-commerce para cumprir as regras no seu e-commerce e evitar problemas jurídicos no futuro.

Próximos passos

Para expandir o seu negócio utilizando canais de venda online você deve começar exatamente de onde você está. Se você ainda não utiliza vendas online, comece experimentado com redes sociais e marketplaces antes de investir na sua própria loja virtual. Mas se você tem os recursos e uma equipe preparada, garanta sua presença em todos os canais pois eles se complementam e podem ajudar sua empresa a aprender e crescer mais rápido.

Slides

Esse post foi desenvolvido com o conteúdo do curso e-commerce para criativos e o valioso feeback dos participantes. Veja a apresentação do curso abaixo 😉

Para saber mais

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora